sábado, 27 de julho de 2013

The Unforgettably Music - 6. The Beatles

COME TOGETHER: Vamos juntos com o Rock And Roll ?

John Lennon

"Come Together" ("Reunam - se", "Juntem-se", em tradução livre) é uma canção dos Beatles composta por John Lennon, creditada a dupla Lennon/McCartney, e lançada no álbum Abbey Road de 1969. A gravação teve início em 21 de julho de 1969, e foi concluída em 7 de agosto de 1969. Dura 4’20”.
Foi lançada em 6 de outubro de 1969, nos Estados Unidos, como lado B do compacto simples que tinha "Something" de George Harrison como lado A. Com este formato, foi lançada também ao redor do mundo, inclusive no Brasil.

Aerosmith

John Lennon escreveu esta música para Timothy Leary, baseado no slogan da campanha deste para o governo da Califórnia em 1969 (Come Together, Join the Party). Tem influências da música de Chuck Berry "You Can't Catch Me". A letra é nonsense, sujeita a interpretações diversas.
O início desta gravação marca a volta do engenheiro de som Geoff Emerick ao trabalho com os Beatles. Ele havia abandonado o quarteto no dia 16 de julho de 1968 por não suportar o clima pesado que pairava sobre as sessões de gravação na época.

O fantástico Buddy Miles ao lado de Jimi Hendrix na Band Of Gypsys

John Lennon canta e toca guitarra; George Harrison toca guitarra; Paul McCartney toca baixo e Ringo Starr toca bateria.
Fonte : Wikipedia


Come Together
Venha Junto

Here come old flat top
He come groovin' up slowly
He got joo joo eyeballs
He want holy rollers
He got hair down to his knees
Got to be a joker
He just do what he please
    Lá vem o velho mais chato
    Ele vem gingando lentamente
    Ele tem olhos mágicos
    Ele quer cilindros santos
    Ele tem cabelos até seu joelho
    Tem que ser um cômico,
    Ele simplesmente faz o que lhe agrada

He wear no shoeshine
He got toe jam football
He got monkey finger
He shoot Coca Cola
He say I know you, you know me
One thing I can tell you is
You got to be free
Come together, right now
Over me
    Ele não usa nenhuma graxa no sapato
    Ele tem dedos de jogador de futebol
    Ele tem dedo de macaco
    Ele atira na coca cola
    Ele diz: "eu o conheço, você me conhece"
    Uma coisa que eu posso dizer pra você
    É que você tem que ser livre
    Venha cá, agora mesmo
    Junto a mim

He bag production
He got walrus gumboot
He got Ono sideboard
He one spinal cracker
He got feet down below his knees
Hold you in his armchair
You can feel his disease
Come together, right now
Over me
    Ele ensacola produção
    Ele tem botas de morsa
    Ele tem as costeletas da Ono
    Ele é uma invasor espinhal
    Ele tem pés abaixo do seu joelho
    Abraça você na poltrona dele,
    você pode sentir a doença dele
    Venha cá, agora mesmo
    Junto a mim

He roller coaster
He got early warning
He got muddy water
He one Mojo filter
He say one and one and one is three
Got to be good looking
'cause he's so hard to see
Come together right now
Over me
    Ele vai na montanha-russa
    Ele recebe o aviso prévio
    Ele tem água barrenta
    Ele é um filtro de feitiço
    Ele diz um e um e um é três
    Tem que ser de boa aparência
    Porque ele é tão difícil de ver
    Venha cá, agora mesmo
    Junto a mim

Come together, yeah
Come together, yeah
Come together, yeah
Come together, yeah
Come together, yeah
Come together, yeah
Come together, yeah
    Venha junto, yeah
    Venha junto, yeah
    Venha junto, yeah
    Venha junto, yeah
    Venha junto, yeah
    Venha junto, yeah
    Venha junto, yeah

Come together, yeah
    Venha junto, yeah


THE BEATLES : Come Together


AEROSMITH : Come Together Live SGT Pepper’s Cover 1978


JOE COCKER : Come Together Live


AVISHAI COHEN TRIO : Come Together Live 2007


BUDDY MILES : Come Together Live

video


Uma Grande Música !
Tocada de formas diferentes e geniais por vários Grandes Intérpretes !
Longa Vida a John Lennon !
Longa Vida ao Rock And Roll !

quarta-feira, 24 de julho de 2013

The Rock's Hidden Treasures - 28. Warhorse

WARHORSE : Um Heavy Metal com estilo e origem púrpura !


Quando Nick Simper foi expulso do Deep Purple, em 1969, ele deve ter ficado muito chateado. Aparentemente, a razão pela qual ele foi convidado a sair foi porque a banda não sentia que seu jogo era pesado o suficiente para o estilo o qual eles estavam tentando ir. 

Nick Simper

Nick começou a batalhar para provar a seus ex-colegas de banda que eles estavam errados, e para isso, a banda Warhorse seria a expressão dessa verdade.


Depois de trabalhar arduamente na banda Marsha Hunt White Trash, por um curto período de tempo (que também contou com Rick Wakeman antes dele se juntar ao Yes), Nick encontrou um terreno musical comum com os outros membros, o guitarrista Ged Peck e o baterista Mac Poole, na qual eles se sentiam suficientemente entrosados para caminharem rumo ao objetivo de cada um. 


Somaram ao seu arsenal, o excelente tecladista, ex-Velvet Fogg, Frank Wilson, e um jovem e talentoso vocalista, Ashley Holt, que viria a desempenhar um papel muito importante na banda solo de Rick Wakeman. Os resultados desta colaboração são alguns dos mais assustadores, viscosos, e estridentes discos de Rock Pesado do início dos anos 70.


Originalmente lançado pela etiqueta Vertigo, a música no álbum de estréia de Warhorse começa muito estranha; há um órgão muito abafado, que silencia por alguns segundos, e logo quando você aumentar o volume para obter uma melhor ouvir o que está acontecendo ... POW! Toda a banda chega e bate-lhe na cabeça com o seu poder absoluto. Este é um Metal Nobre que poderia facilmente ser dado a uma banda como Black Sabbath. O álbum é cheio de basslines agressivas, poderosa percussão, guitarra e órgão matadores e monstruosos. A voz de Holt é incrível aqui também. Ele realmente põe fora os vocais pesados com uma energia incrível que ele não conseguiu mostrar nos álbuns Wakeman.


Músicos
     Ashley Holt - vocais
     Ged Peck - guitarra
     Mac Poole - bateria
     Nick Simper - baixo
     J. Frank Wilson - teclados



WARHORSE : Ritual


WARHORSE : Burning


WARHORSE : Live At 1971


WARHORSE : Woman Of The Devil Live 1971


WARHORSE : I ( Who Have Nothing ) Live 1971


O Warhorse é uma grande banda, e Nick Simper conseguiu provar sua capacidade, e mostrou todo o peso que poderia colocar nas músicas.
Longa Vida ao Warhorse !
Longa Vida ao Rock And Roll !

sábado, 20 de julho de 2013

Special Edition - 17. Acido

ACIDO : Uma grande e tradicional banda Uruguaia com muito peso !


Acido é uma banda de Heavy Metal uruguaia, que foi pioneira nesse estilo em seu país. Foi formada no início dos anos 80, ainda em plena ditadura, por Perro, Danny, Varo e Bill, e foi a primeira banda de Metal uruguaia a gravar um EP e a fazer shows do gênero.


A banda continua ativa e Al Ataque ( nome de seu último disco ).
Em 2011 a Fonam se associou a banda para a gravação e edição de seu primeiro disco, e no mesmo ano participam de um show no Velodromo Municipal de Montevideo e gravam o seu primeiro DVD Ao Vivo.


Em 2012 participam do evento em homenagem a Pappo na cidade de Luján na Argentina, e editam, por Perro Andaluz, seu primeiro disco em formato de CD, apresentando-se na Sala Zitarrosa de Montevidéo em 20 de abril de 2013.


Membros
Perro (fundador)
Danny 9co-fundador)
Varo (co-fundador)
1983-1987 Bill (guitarra, baixo) e Gonzo (baixo)
1984 - Paul Camaro (voz estudio )

Banda atual
Perro (guitarra e vocal)
Danny (guitarra e vocal)
Varo (batería e backing vocal)
Gabri-Hell Joe (baixo e backing vocal)
J.P." Bike" Riñon (guitarra e backing vocal)


Contactos
Varo Acido
Prensa : salasmacadam@yahoo.com
Perro Acido
p-rock2013@ul.com.br
Info: PrensaACIDO@gmail.com
Managers siglo pasado: Daniel Figares - Alfonso López Dominguez
Representación en Brasil: Claudete Anastasi
Representación en Argentina: Ivonne Jeannot

Fonte: página do facebook da banda.


ACIDO : La Fiesta Del Acido 2012

video

ACIDO : Chopper Amerikana & Al Ataque Em Vivo Em El Velodromo 2011


ACIDO : Ruedas de Metal En Vivo Em El Velodromo 2011


ACIDO : No Detengas Su Motor Em Vivo Em El Velodromo 2011


ACIDO : Al Ataque Três Temas 2012



O Acido é uma grande e tradicional banda, que mantem a sonoridade mais clássica do Rock.
Longa Vida ao Acido !
Longa Vida ao Rock And Roll !


sexta-feira, 19 de julho de 2013

The Rock's Hidden Treasures - 27. Epitaph

EPITAPH : Um Rock Progressivo Alemão com muito peso e harmonia !


O Epitaph é uma banda alemã de Rock Progressivo, inspirada na sonoridade do Deep Purple, Uriah Heep e Led Zeppelin.


Foi formada em Dortmund em 1969, composta por Cliff Jackson (vocais e guitarra), Bernd Kolbe (baixo, mellotron e vocal) e Jim McGillivray (bateria). As primeiras faixas de seu álbum de estréia, lançado em 1971 pela Polydor, foram gravados em um estúdio de Essex, na Inglaterra. Por razões desconhecidas, o disco só foi finalizado nos Estúdios Windrose em Hamburgo, onde um quarto membro foi adicionado ao grupo: Klaus Walz (guitarra e vocais). 


As cinco faixas resultantes soou semelhante aos grupos mencionados acima , e, particularmente, a primeira música tem vocais muito parecidos aos de David Byron, porém Cliff Jackson negou que tenha tido a intenção de fazer uma cópia do timbre e da maneira de cantar de Byron. 


O disco contem duas faixas onde se observa um rock rápido tipo balada, com o Mellotron dando uma textura num padrão de um som progressivo pesado. 


Os três discos são de excelente qualidade musical, com boa versatilidade de músicas, e uma clara inspiração na música dos anos 70, o que por sí só confere toda uma atmosfera especial aos discos.


EPITAPH : Outside The Law


EPITAPH : Crossroads 1977

video

EPITAPH : Woman Live 1977


EPITAPH : Stop, Look & Listen 1972


EPITAPH : Cold Rain Live At Hamburgen 2011


EPITAPH : Ride The Storm


EPITAPH : Little Maggie Live At The Brewery “ The Reunion Concert” 2000


EPITAPH : Live At The Capitol Hannover 2012


EPITAPH : Hole In My Head


O Epitaph é uma das maiores bandas alemãs que brilharam no cenário mundial do Rock.
Longa Vida ao Epitaph !
Longa Vida ao Rock And Roll !


terça-feira, 16 de julho de 2013

New Band New Record - 16. Red Fang

RED FANG : Uma banda que faz Stoner Rock com muito humor .... e cerveja !


O Red Fang é uma banda norte-americana de Heavy Metal e Stoner Rock.
A banda lançou o seu primeiro disco autointitulado em 2009 pelo selo Sargent House. Em 2011, o quarteto lançou o disco Murder the Mountains, primeiro pela gravadora Relapse Records e produzido pelo músico Chris Funk, membro do grupo The Decemberists. 


Após o lançamento do segundo álbum, o Red Fang excursionou pelo mundo e tocou ao lado de bandas como Crowbar, Helmet, Megadeth, Down, entre outros.


Em setembro de 2011, o grupo foi escolhido para participar da turnê de lançamento do novo disco do Mastodon , junto do The Dillinger Escape Plan.


RED FANG : Wires Official Music Video


RED FANG : Hank Is Dead Official Music Video


RED FANG : Dirt Wizard Official Music Video


RED FANG : Prehistoric Dog Official Music Video


O Red Fang é uma banda com muito peso, que faz um Stoner Rock com uma sonoridade bastante própria, não se parecendo com as demais bandas do mesmo estilo.
Longa Vida ao Red Fang !
Longa Vida ao Rock And Roll !

sábado, 13 de julho de 2013

Special Edition - 16. Dia Internacional do Rock

DIA INTERNACIONAL DO ROCK : Um dia feito para todos nós !


UM POUCO DE HISTÓRIA
Segundo historiadores, o marco zero do rock teria acontecido em julho de 1954, quando um caminhoneiro chamado Elvis Presley entrou no Sun Studios, em Memphis, e gravou "That’s Allright Mamma". 
Não! Elvis não inventou o rock. Antes dele, músicos como Chuck Berry e Bill Halley já faziam rock. Desde o fim dos anos 40, "rock’n’roll" era usado em letras de música como sinônimo de "dançar" ou "fazer amor". Em 1952, o radialista Alan Freed, que depois viria a reivindicar a criação do termo, batizou seu programa de Moondog’s Rock and Roll Party. 
A tarefa de Elvis não foi fácil: a sociedade norte-americana demorou bastante para aceitar aquele branco que cantava e dançava como um negro. Em uma de suas primeiras apresentações na TV, as câmeras o filmaram apenas da cintura para cima, sem mostrar aquele quadril que teimava em rebolar. Elvis, ao contrário de vários outros ídolos da época (como Pat Boone, por exemplo), nunca renegou a origem de sua música. "O que eu faço não é novidade", disse. "Os negros vêm cantando e dançando dessa forma há muito tempo." 
Sim, o rock’n’roll é música negra. Como o blues, o soul e o funk, o rock nasceu da escravidão e tem suas origens na migração forçada de milhões de africanos, que foram tirados de suas aldeias e jogados em terras estranhas. Todos esses gêneros musicais têm duas características comuns, herdadas da África: a primeira é a predominância de uma base rítmica constante e repetitiva; a segunda é a utilização da música de uma forma emocional e espiritual. Os escravos cantavam para celebrar sua espiritualidade, seus ancestrais, as mazelas da escravidão, estabelecendo assim uma relação direta entre sua música e a realidade social. O rock herdou essa capacidade de radiografar o presente. 
Na época, a sociedade americana começava a abandonar preconceitos seculares. De uma certa forma, a explosão do rock simbolizou uma América nova, mais liberal, próspera e livre das dificuldades econômicas do pós-guerra. Adolescentes brancos começaram a curtir uma música antes relegada a salões de baile nos bairros negros e pobres. 
O rock’n’roll não mudou a sociedade, mas serviu como espelho de mudanças e tendências. Claro que ninguém deixou de ser racista ao ouvir Elvis Presley cantando música "de negros", mas o simples fato de Elvis aparecer em cadeia nacional, rebolando os quadris e celebrando uma cultura marginal, mostrava que o país estava mudando. 


ADOLESCENTES DISSEMINADORES DO ROCK 
Paralelamente ao surgimento do rock, a sociedade norte-americana via o aparecimento de outro fenômeno, que se tornaria vital para a explosão do rock’n’roll: o adolescente. 
Até meados do século 20, adolescentes tiveram uma vida dura nos Estados Unidos. O país havia passado por duas guerras mundiais e pela Grande Depressão; ser jovem por lá significava trabalhar duro e ajudar os pais a sustentar a casa. 
Depois da Segunda Guerra, tudo mudou: os Estados Unidos entraram numa fase de prosperidade, a economia cresceu e os adolescentes, que antes davam duro ajudando os pais, passaram a receber mesada. Isso criou um novo mercado, voltado unicamente para o jovem. 
Hollywood logo entrou na onda, lançando filmes direcionados aos adolescentes. Dois deles, O Selvagem (1954) e Rebelde sem Causa (1955), revelaram Marlon Brando e James Dean interpretando jovens em conflito com a geração de seus pais. A rebeldia estava na moda. Daí surgiu Elvis Presley, dando voz a uma geração cansada da caretice dos pais. 
A sociedade de consumo não demorou para perceber o potencial do filão jovem. Foi só aí que o rock explodiu na América. Foram filmes, revistas, livros, badulaques, calendários e todo tipo de bugiganga direcionada aos novos consumidores. Elvis, o rebelde, tornou-se uma figura tão familiar aos lares americanos quanto o presidente Eisenhower. 


AMADURECIMENTO DO ROCK 
A influência dos Beatles é incalculável. Musicalmente, eles elevaram o rock a um nível até hoje inigualado, estabelecendo parâmetros e modelos para toda a música pop. Suas experimentações abriram novas possibilidades sonoras e ampliaram os horizontes musicais das gerações posteriores. Culturalmente, eles foram igualmente importantes: carismáticos, irreverentes e cheios de sex-appeal, eles surgiram no mundo como um sopro renovador, obliterando a caretice da década de 50 e inaugurando uma era mais livre e esperançosa: os anos 60. 
O rock democratizou a música pop. Subitamente, qualquer um podia subir em um palco e cantar. Elvis, um caipira ignorante, passou a freqüentar as paradas de sucesso ao lado de Frank Sinatra e Nat King Cole (dá até para entender por que Sinatra, acostumado a trabalhar com músicos experientes, não aceitou o novo estilo: "rock’n’roll é a coisa mais brutal, feia e degenerada que eu já tive o desprazer de ouvir", disse o "olhos azuis"). 
Essa "democracia" do rock teve um efeito imediato: os artistas ficaram cada vez mais parecidos com seu público, tanto em idade quanto em classe social. Os jovens passaram a se identificar mais com seus ídolos, estabelecendo uma relação mais próxima com a música. O rock também passou a buscar na sociedade ( especialmente nos jovens ) os temas de suas canções. Essa troca fez do rock a música mais popular e culturalmente impactante do século 20. 


GERAÇÃO MTV 
Para muitos, esse estreitamento entre artista e público também causa um declínio gradual na qualidade da música. A cada ano, um número maior de pessoas sem treinamento musical tem acesso a tecnologias de composição e gravação. Hoje, aparelhos como samplers e placas de som permitem a qualquer um gravar um disco em casa. E popularização raramente é sinônimo de qualidade. 
O fato é que nenhuma outra música esteve tão sintonizada com a realidade de seu tempo quanto o rock. Desde os anos 50, ele passou a ser um espelho da sociedade, refletindo a moda, o comportamento e as atitudes dos jovens. Isso fez do rock uma música com prazo de validade, ou seja, tão ligada no "hoje" que corre o risco de sair de moda rapidamente, junto com os temas abordados (para confirmar, basta assistir a qualquer videoclipe de dez anos atrás). 
Isso cria situações interessantes: o que é "bacana" e "moderno" para uma geração torna-se ultrapassado para a próxima. Sendo um gênero que se alimenta sempre do novo, o rock’n’roll gera conflito entre seus fãs. Um movimento surge como resposta ao anterior e assim por diante, numa renovação incansável. 
Esses conflitos, mais que interessantes, são necessários: sem eles, estaríamos condenados à eterna repetição. Foi a partir desses "rachas" que nasceram alguns dos movimentos mais influentes do rock, como o punk, basicamente uma reação ao comercialismo e à pompa do rock dos anos 70, que havia perdido a identificação com as gerações mais novas. Ao contrário do que ocorria antes do rock’n’roll, agora ficou fora de moda curtir a mesma música que os pais. Mas isso é cíclico, claro: com o passar dos anos, a indústria descobriu o potencial do saudosismo. Hoje, temos canais de televisão que vivem de reembalar artistas velhos como se fossem a última novidade. E veteranos como o Aerosmith, por exemplo que, graças a seus clipes na MTV, reinventam-se para um público que nem era nascido quando eles faziam sua melhor música. 
A nova geração de roqueiros repete o comportamento da anterior com novas versões "repaginadas", e mesmo assim, representam mais que a simples paixão por uma banda ou artista: tornaram-se símbolos de um estado de espírito e de um jeito de ser. A iconografia, claro, reduz tudo a seu nível mais rasteiro e um artista como Kurt Cobain, autor de dezenas de músicas, acabou reduzido a garoto-propaganda do suicídio e da alienação adolescente. John Lennon foi assassinado e virou "marca", transformado, como Gandhi, em símbolo de paz e amor. 
Talvez seja essa a razão de seu sucesso. Como bem disse Gene Simmons, do Kiss: "Eu não sou Shakespeare. Mas ganhei muita grana e transei com mais de 4 mil mulheres. Tenho certeza de que Shakespeare trocaria de lugar comigo a qualquer hora". Quem duvida? 


DIA MUNDIAL DO ROCK
O dia 13 de julho de 1985 foi palco de um festival memorável: o Live-Aid (algo como "Ajuda ao vivo"), em prol das inúmeras pessoas que passam fome na África. 
O evento foi iniciativa do músico irlandês Bob Geldof, integrante da banda Boomtown Rats, que ficou chocado ao ver o documentário Fome na Etiópia, em que os famintos não tinham forças nem para espantar, do próprio corpo, as moscas que os rodeavam. 


O festival contou com a participação de artistas renomados como Mick Jagger, Tina Turner, Madonna, David Bowie, Sting, Phil Collings, Queen, Eric Clapton, Elton John, Paul McCartney, Jimmy Page, Robert Plant, além das bandas U2, Ozzy Osbourne e The Who, entre outros. 
Os shows aconteceram simultaneamente em Londres, na Inglaterra, e na Filadélfia, nos Estados Unidos. Cerca de 170 mil pessoas participaram da maratona musical – 70 mil na Inglaterra e 100 mil nos Estados Unidos, enquanto 1,5 bilhão de pessoas assistiram tudo pela TV. 
Com a venda de ingressos a 35 dólares e a venda dos direitos de transmissão a 160 países, o espetáculo conseguiu arrecadar cerca de 70 milhões de dólares, certamente uma cifra considerável. Depois dele, outros festivais com essa mesma consciência social ocorreram na década de 80 como o U.S.A. For Africa, Live Aid, Farm Aid, Hear 'n' Aid, Artists Against Apartheid e o Amnesty International, reunindo sempre grandes nomes do mundo pop e rock. A data foi para lembrar que o rock também sabe ser solidário. 

Bob Geldorf o idealizador do show.

Fontes: Super Interessante
            Grito Alternativo ; Rock Online


Abaixo relaciono uma série de músicos, bandas e músicas que tiveram grande importância na história do Rock, e é claro que não conseguirei reunir todos aqueles que foram influentes e importantes, pois o Rock é infinito, mas que estes os quais abaixo relaciono sejam portadores e representantes daquilo que o Rock faz com absoluta maestria: trazer alívio para nossos ouvidos e nos fazer mais felizes !
Vamos curtir o Rock desses gênios e Deuses !

FELIZ DIA DO ROCK A TODOS OS ROCKEIROS !
FELIZ DIA DO ROCK ESPECIAL A TODOS OS ASTRO-ROCKERS QUE NOS BRINDAM COM SUAS VISITAS NESTE PLANETA ROCK !
LONGA VIDA AO ROCK AND ROLL !


LIVE AID : Queen - Bohemian Rhapsody (Intro) & Radio Ga Ga 1985


ROBERT JOHNSON : Crossroad


B.B.KING : Everyday I Have The Blues Live At Farm Aid 1985


ELVIS PRESLEY : Suspicious Minds Live In Las Vegas


CHUCK BERRY : Johnny B. Goode Live


CREAM : Sunshine Of Your Love Live 1993


JIMI HENDRIX : Hey Joe Live At Monterey Pop Festival


THE DOORS : Light My Fire Live In Europe 1968


THE ROLLING STONES : It’s Only Rock’N’Roll ( But I Like It )


JEFF BECK & ROD STEWART : People Get Ready


LED ZEPPELIN : Rock And Roll Live 1973


BLACK SABBATH : War Pigs Live At Never Say Die Tour 1978


DEEP PURPLE : Burn Live At California Jam 1974


SCORPIONS : We’ll Burn The Sky Live Japan 1979


ALICE COOPER : School’s Out Brutally Live


THIN LIZZY : The Sun Goes Down Live At The Regal Theatre Hitchin 1983


FOCUS : Silvia & Hocus Pocus Live At BBC Old Grey Whistle Test 1972


PINK FLOYD : Echoes Live At Pompeii


GENESIS : The Musical Box Live 1973


RUSH : Tom Sawyer Live


SAXON : Wheel Of Steel Live In Wacken 2009


JETHRO TULL : Aqualung Live 1980


LYNYRD SKYNYRD : Simple Man Live


GOV’T MULE : Bad Little Dog Live


POINT BLANK : My Soul Cries Out Live In Paris 2010


HANOI ROCKS : Tragedy Live In Tokyo 2002


THE WINERY DOGS : Elevate Music Video


INTERSTATE BLUES : Adrenaline Twelve


JORN : Out To Every Nation Live 2006


RATA BLANCA : Volviendo a Casa In Vivo En Obras 2003


CASA DAS MÁQUINAS : Casa de Rock


O TERÇO : Criaturas da Noite Ao Vivo 2012


SOM NOSSO DE CADA DIA : Bem No Fim 1977


THE BLUES RIDERS : Deixa o Rock Rolar Ao Vivo 2012

video

PATRULHA DO ESPAÇO : Festa do Rock Ao Vivo no Manifesto Bar 2013

video

MADE IN BRAZL : Minha Vida é o Rock’n’Roll no Estúdio Showlivre 2012


Obrigado ao Rock And Roll por nos dar sua alma para que possamos continuar sobrevivendo !
Salve o Rock And Roll !
Salve todos nosso heróis; os das guitarras, os dos contrabaixos, os dos vocais, os dos teclados, os das baterias, os dos backing vocals, os poetas, os que fazem as artes das capas e cartazes de Rock, os que fazem as fotografias dos discos e encartes de Rock, os que fazem a iluminação dos palcos, os que fazem os palcos, os que cuidam do som, os que cuidam dos instrumentos, todos os Roadies Crews, enfim :


AC DC : For Those About To Rock Live At Donington


RESPEITE O ROCK : 13 de julho - Dia Internacional do Rock



quinta-feira, 11 de julho de 2013

The Crazy Drum - 4. Sandy West

SANDY WEST : Uma Grande e Ousada Baterista numa Banda Pioneira !


Sandy West (10 de julho de 1959 – 21 de outubro de 2006) foi uma baterista e compositora estadunidense. Ela foi saudada por vários fãs e críticos por ser uma baterista que trouxe inovações1 . Ela foi a primeira mulher baterista a angariar popularidade e aclamação da crítica na área do rock, e foi também uma das membras fundadora da banda The Runaways, uma banda de Rock and Roll, formada nos anos 70, que tinha apenas mulheres na sua formação.


COMEÇO
Sandy nasceu em Long Beach, California. Quando ela tinha apenas 9 anos de idade, seu avô comprou a ela uma bateria, e, por ser uma ávida fã de rock anos 60, ela começou a praticar imediatamente. Ela provou ter um talento natural e não demorou muito para que ela se tornasse uma baterista veloz e proficiente.

THE RUNAWAYS
Guiada por sua ambição de ser uma baterista profissional, ela procurou por diversos músicos no sul da Califórnia, com a idéia de formar uma banda de rock formada apenas por mulheres. Em 1975, ela conheceu o produtor Kim Fowley, que deu para ela o número do telefone de uma jovem garota que também queria formar uma banda, a guitarrista Joan Jett. Quando Joan e Sandy encontraram-se logo em seguida (Joan pegou um ônibus para a casa de Sandy para fazer um ensaio), elas perceberam que uma energia palpável aconteceu entre elas, e o inícido do Runaways, sem dúvida alguma, ocorreu naquele dia. As garotas, consequentemente, tocaram algumas músicas para Fowley, que concordou em ajudá-las a encontrar outras garotas para completar a banda. Foi então que Lita Ford e Cherie Currie juntaram-se a elas.


PERÍODO PÓS RUNAWAYS
Após quatro anos de gravações e turnês por todo o mundo, inclusive no Japão, onde a banda havia conseguido certo prestígio, o Runaways acabou em 1979. Como ocorre frequentemente no mundo da indústria musical, as garotas, incluindo Sandy, não saíram bem financeiramente, mesmo com todo o material produzido. Sandy fez diversas tentativas para continuar sua carreira como baterista profissional, tocando em várias bandas pelo sul da Califórnia, lançando um álbum solo intitulado "The Beat is Back", em bom português, algo como "A Batida Está de Volta", e formando a "The Sandy West Band". Entretanto nenhum desses empreendimentos produzidos trouxe rendimentos produtivos, obrigando Sandy a gastar muito tempo de sua vida pós-Runaways trabalhando fora do ramo musical.
Sandy apareceu no filme Edgeplay, um documentário sobre o The Runaways produzido e dirigido pela baixista da banda, Victory Tischler-Blue. Nas entrevistas que Sandy deu ao documentário, ela conta todas as coisas que ela precisou fazer por dinheiro. Ela trabalhou a maior parte do seu tempo em construção, e, por um período menor de tempo, trabalhou como bartender e assistente de veterinário. Na entrevista, ela conta também que já cometeu coisas terríveis por causa de dinheiro, e que inclusive quebrou o braço de uma pessoa por causa do dinheiro que devia.


Em 2005, Sandy foi diagnosticada com câncer de pulmão, que mais tarde acabou espalhando-se por seu cérebro. Sandy faleceu no dia 21 de outubro de 2006, aos 47 anos. Joan Jett falou a respeito de sua morte: “Nós dividimos o sonho de ser apenas garotas tocando Rock and Roll. Sandy foi uma baterista exuberante e poderosa”, e adicionou “Eu estou superando a perda da minha amiga. Eu sempre disse a ela que nós mudamos o mundo.”


Cherie Currie, a vocalista inicial do The Runaways, completou: "Sandy West foi tranquilamente a melhor mulher baterista em toda a história do Rock and Roll. Ninguém competia ou chegava perto dela. Mas a coisa mais importante era o seu coração. Sandy West adorava seus fãs, seus amigos e sua família. Ela faria qualquer coisa pelas pessoas que ela amava. Subir aos palcos novamente nunca mais será a mesma coisa para mim, pois Sandy West era a melhor e eu sentirei falta dela."
Sandy West foi revivida no filme "The Runaways" de 2010. Ela foi interpretada pela atriz Stella Maeve, juntamente com Kristen Stewart, Dakota Fanning e Scout Taylor-Compton, que interpretam Joan Jett, Cherie Currie e Lita Ford, respectivamente.
Fonte: Wikipedia  

  
THE RUNAWAYS : I Love Playin' With Fire 


THE RUNAWAYS : Hollywood


CHERIE CURRIE AND SANDY WEST : American Nights And Cherry Bomb 


THE RUNAWAYS : Saturday Night Special


CHERIE SANDY WEST MEMORIAL 


THE RUNAWAYS : Rock'N'Roll 


JOAN JETT : Sandy West Tribute


SANDY WEST TRIBUTE


Sandy West foi uma grande baterista, que desde cedo tinha o dom do ritmo.
Participou de uma banda pioneira, e sempre será lembrada com uma das grandes bateristas de toda história do Rock.
Longa Vida a Sandy West !
Longa Vida ao rock And Roll !