sábado, 24 de agosto de 2013

The Wind's Voice - 3. Percy Weiss

PERCY WEISS : A Maior Voz do Autêntico Rock Nacional ! A Voz dos Deuses !


Eu poderia fazer uma grande procura pela biografia deste, que sem dúvida alguma, é o maior vocalista do nosso Autêntico Rock, poderia falar muita coisa sobre a qualidade vocal deste Deus, poderia dizer coisas sobre como ele consegue transformar as músicas que interpreta dando a elas um toque especial e de classe, mas preferi reproduzir aqui as palavras de Luiz Carlos Barata Cichetto, que com muito mais qualidade e emoção, consegue traduzir parte do sentimento que temos quando ouvimos Percy cantar. As vezes acho que não tenho ouvido suficiente para entender toda extensão e importância da voz e da interpretação desse Deus ... mas vamos levando e tentando "ouvir" ( leia-se "sentir" ).

Biografia de Percy por Barata Cichetto
Quando Percy Weiss nasceu, “Voz”, um dos deuses do Rock proclamou à humanidade: “Aqui tens, humanos, a minha descendência, meu dileto filho. Será este que lhes entrego, Percy Weiss, aquele que lhes encantará e trará emoções com sua Voz. Será ele, ‘A Voz do Rock’.”
Carioca nascido 11 de Março de 1955 na cidade do Rio de Janeiro, mais precisamente na Rua das Laranjeiras, Percy José Weiss – pronuncia-se “Vaiz” -, neto de um alemão que imigrou para o Brasil no começo do século 20, morou em Copacabana até os cinco anos de idade quando a família se mudou para São Paulo, mais precisamente para o bairro do Brooklin.


Influenciada diretamente por Beatles e Rolling Stones, a longa carreira de Percy Weiss começa em 1972 aos 17 anos de idade, com a banda de baile U.S. Mail, nas domingueiras do Clube Banespa. A partir daí, Percy percorre todo o circuito de bailes de São Paulo. Em 73 participa da banda Quarto Crescente, que conta com nomes como Duda Neves, Palhinha, Marcos Guerra e outros tocando no Masp, Teatro São Pedro, Aquarius, Tuca e etc..
O sucesso chama a atenção de inúmeras bandas e músicos, inclusive de Oswaldo Vecchione, baixista e fundador do Made In Brazil, uma das mais importantes bandas de Rock do Brasil, que à época tinha equipamento e estrutura sem precedentes. Percy então passa a ser o cantor da banda, percorrendo grande parte do Brasil e se apresentando para grandes platéias. Em 1976, 12 mil pessoas no Ginásio do Corinthians assistiram a um show da banda junto com Rita Lee e Zé Rodrix. Durante o ano de 1976, o Made In Brazil faz mais de 70 apresentações, todas com Percy Weiss á frente dos vocais. Nesse ano grava também um dos mais importantes discos da história do Rock brasileiro: “Jack o Estripador”, que tem a produção de Ezequiel Neves, que posteriormente viria a produzir entre outros Barão Vermelho e Cazuza.


Em 1978, Percy grava o primeiro disco de outra das mais importantes bandas brasileiras: Patrulha do Espaço, que fora fundada pelo lendário Arnaldo Baptista, mas a havia deixado por problemas de saúde e era então capitaneada por outra figura lendária do cenário, Rolando Castello Júnior. Percy permanece até 1981 tocando ao lado de outras figuras históricas, como os já falecidos guitarristas Dudu Chermont e Walter Baillot e do baixista Cokinho.


Posterior à saída da Patrulha, Percy, a convite de Tibério Corrêa, ingressa em outra histórica banda, o Harppia; que tinha como guitarrista Helcio Aguirra atualmente Golpe de Estado, onde coloca sua voz no disco “Sete”. Posteriormente deixa a banda e faz participações especiais em apresentações e gravações do Made In Brazil, como em “Made Pirata 1 e 2”, cantando algumas canções em shows gravados no Teatro Lira Paulistana.
Em 91 e é a gravação de “Primus Inter Pares” que o trás de volta à Patrulha do Espaço, desta vez contando com a participação, além de Rolando Castello Júnior, do experiente guitarrista Xando Zupo onde grava releituras e músicas ainda inéditas do falecido baixista Sergio Santana. A voz de Percy Weiss parece, especialmente nesse disco, ter sido forjada no fundo de um vulcão em chamas: quente, rude e avassaladora. Canções como “Arrepiado” e “Robot”, originalmente criada pela lenda argentina da guitarra Pappo Napolitano, e “Columbia”, um dos maiores clássicos da banda e do Rock Brasileiro, tomam de emoção a quem as escuta. É a superação do insuperável.


Em seguida, Percy, interessado também pela parte técnica da música, passa a trabalhar em lojas, fabricantes e importadoras de instrumentos musicais. Seu trabalho nessas empresas foi precursor em contratos de “Endorses”, ”Work-Shops” e Clínicas Musicais. Entre 98 e 2003, em Natal, RN, atua como empresário representante de algumas importadoras de instrumentos musicais.


Em 2003 Percy retorna a São Paulo e aos palcos com sua banda, a “Percy´s Band”, onde ao lado de jovens, mas experientes músicos toca os clássicos das bandas por onde cantou e cria novo repertório, que constará de um CD a ser lançado ainda em 2010. Além disso, participa da tournée de despedida da Patrulha do Espaço que percorreu cerca de 40 cidades e prepara composições para um futuro trabalho solo.


Atualmente Percy Weiss está casado com Lana Goulart, sobrinha do grande poeta Ferreira Gullar, com quem criou a Weiss Prodarts, com o intuito de trabalhar com artistas, promovendo eventos e gerando cultura musical para todos os gostos.


Cortante e precisa quanto uma lâmina do mais puro aço, forjado com a têmpera das vozes roucas de Bourbon dos “bluesman” do Mississipi como Muddy Waters, com a garra “Soul” de um Ray Charles e a precisão vocal de um Robert Plant, a voz de Percy Weiss arrepia, transcende os sentidos conhecidos e nos transporta a um mundo onde a emoção é única coisa que importa.

  
Discografia de Percy Weiss:
    Jack, o estripador - Made in Brazil - 1976
    Made Pirata ao vivo I e II - Made in Brazil (participação)
    Patrulha do Espaço - Patrulha do Espaço - 1978
    Quarto Crescente - Quarto Crescente - 1980
    Sete - Harppia – 1987
    Made Pirata ao Vivo I e II (participação)


Fonte:
      Barata Cichetto
      http://www.abarata.com.br/musica_biografias_detalhe.asp?Codigo=236
Barata Cichetto é um grande escritor, que dentre inúmeros trabalhos escreveu um livro sobre a vivência com os integrantes da banda Patrulha do Espaço, que ele descreve como sendo um livro de ensaios e crônicas sobre a Patrulha do Espaço. Li e reli o livro mais de uma vez, e posso dizer que ele é simplesmente fantástico. Altamente recomendável.
Abaixo transcrevo a resenha do livro conforme encontrei no site do Barata.


Patrulha do Espaço no Planeta Rock
Luiz Carlos Barata Cichetto
Editora: Editor'A Barata Artesanal


Desde 1977, quando estive presente ao primeiro show da Patrulha do Espaço, no Concerto Latino Americano de Rock em São Paulo, ainda como “a banda do mutante Arnaldo Baptista” nunca mais desgrudei os olhos e ouvidos dessa banda. São trinta e cinco anos de carreira, vinte discos, entre CDs e LPs, centenas e centenas de shows.
Durante determinado período de tempo, passei a viajar e participar intensamente dessa tripulação, vendendo shows, organizando eventos, criando artes, sites, conceitos de discos (como foi o caso de “.ComPacto”) e principalmente participando da minha maior experiência como roqueiro. Foi um período de muita criatividade, tanto por parte da banda como minha, e essa convivência culminou com uma amizade com seu capitão-mor Rolando Castello Junior, que não canso de declarar aos quatro ventos, é um dos maiores bateristas do mundo, em todos os tempos, e em pé de igualdade com os grandes gênios das baquetas, como Keith Moon, John Bonhan e Neil Peart.
Donos das chamadas “personalidades fortes” (apelido dado às pessoas teimosas e persistentes e que amam aquilo que fazem acima de tudo) tivemos alguns atritos ao longo dos anos. E alguns até contados nestes textos. E atritos em uma amizade são como dizia Nietzsche: ou a mata ou fortalece. Fortaleceu.
Durante minha jornada a bordo da Patrulha, durante algum tempo escrevi crônicas diárias sobre cada show ou viagem, escrevi textos para releases, fiz entrevistas com Rolando e mais recentemente, já neste ano de 2012, tive a honra de construir mais um site para a banda.
Este pequeno volume, criado especialmente aos seguidores desta que é uma das maiores e mais importantes bandas do combalido cenário de Rock no Brasil, é um apanhado desses escritos, publicados em A Barata, blogs e sites de música e é dedicado a todos Espaçonautas que fizeram dessa tripulação, a mais roqueira do planeta.

Luiz Carlos Barata Cichetto
Setembro de 2012.... 35 anos depois daquele de 1977...


PATRULHA DO ESPAÇO : Arrepiado


PATRULHA DO ESPAÇO : Simples Toque


MADE IN BRAZIL : Jack O Estripador


MADE IN BRAZIL : O Cigano


PERCY WEISS & MEDUSA TRIO : Os Bons Tempos Voltaram

video

PERCY WEISS BAND : Eu Não Presto

video

QUARTO CRESCENTE : Ensaio da Banda
Ensaio da banda no "Quartinho" do Duda Neves na João Moura, em 1973.
Com:
     Percy Weiss – vocal
     Marcão Índio – guitarra
     Sizão Machado - contrabaixo
     Duda Neves – bateria
     Tema coletivo, letra Percy Weiss

video

QUARTO CRESCENTE : Boa Garota


TUBLUES & PERCY WEISS : Uma Banda Made In Brazil


PERCY WEISS BAND : Festa do Rock Ao Vivo no CCSP


Percy Weiss é o maior vocalista do nosso Autêntico Rock Nacional.
Estará sempre no lugar mais alto na Galeria de Nossos Verdadeiros Heróis !
Longa Vida a Percy Weiss !
Longa Vida ao Rock And Roll !


5 comentários:

  1. Obrigado pela publlcação e pelos comentários sobre o livro "Patrulha do Espaço no Planeta Rock". Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu grande Brother ... você é merecedor de todos os elogios pela sua criatividade e persistência em fazer Arte de Primeira Linha num país como este. Conte sempre com este amigo e com este blog para a divulgação de todo e qualquer trabalho seu. Seu texto sobre o Percy é absolutamente Divino.
      Walter

      Excluir
  2. VCS NÃO ESTÃO EXAGERANDO, UM POUCO, NÃO ?
    ABRAÇOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A resposta é simples ... não. Obrigado por nos aliviar com suas músicas e com sua voz.
      Walter

      Excluir
  3. Muito Bom!! O mestre merece!!
    Cezar Heavy - Tublues!

    ResponderExcluir